Dicas sobre empréstimo consignado

 

 

 

 

 

 
SUICÍDIO EM DEBATE NA FUNAPE

Desde 2015, no Brasil, durante o mês de setembro, por iniciativa do Centro de Valorização da Vida (CVV), do Conselho Federal de Medicina (CFM) e da Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP) é realizada a campanha "Setembro Amarelo", para fazer frente no combate ao suicídio, tendo em vista o crescimento do número de pessoas que atentam contra a própria vida no País. 10 de setembro é o "Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio" e a Funape, preocupada com a questão, promoveu, na quarta-feira (18), no auditório, em parceria com o Instituto de Recursos Humanos (IRH), a palestra Valorização da Vida.

A ação contou com a palestrante e psicóloga, Andreza Medeiros, que apresentou dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), segundo os quais, cerca de 800 mil pessoas cometem suicídio por ano, no planeta, o que corresponde a uma morte a cada 40 segundos. Em 2018, foi considerada a segunda maior causa de morte entre jovens de 15 a 29 anos. No Brasil, pelo menos 32 pessoas cometem o ato de morte, diariamente. Outro dado alarmante é que crianças e idosos, acima de 65 anos, estão compondo essa nefasta estatística também. Os dados apontam que as mortes por suicídio acometem três vezes mais os homens do que as mulheres.

De acordo com o estudo apresentado, vários fatores de risco contribuem para o suicídio, dentre eles, doenças mentais como depressão, transtorno bipolar, transtornos mentais relacionados ao uso de álcool e outras substâncias psicoativas, transtorno de personalidade e esquizofrenia. Segundo Medeiros, alguns aspectos psicológicos são bastante significativos e podem desencadear uma mudança de atitude. Algumas pessoas não lidam bem com perdas, têm baixa resiliência, personalidade impulsiva, agressiva ou humor instável, história de
abuso físico ou sexual, desesperança, desespero e conflitos de identidade sexual, além de aspectos sociais como desemprego e desamparo como é o caso de moradores rua. Para a psicóloga, o autoconhecimento é um caminho de proteção. Aceitar-se como é, já é uma ótima decisão, para manter a autoestima elevada. Isso possibilita ao indivíduo a capacidade de solucionar problemas, prestar atenção no outro, pois, muitas vezes, as pessoas dão sinais, mas não são percebidos. Em outros casos nem há sinais. Por isso, falar sobre o assunto, também ajuda.

E o que está levando pessoas a tomarem atitudes tão extremadas? As respostas foram surgindo da plateia num misto de questionamento e percepção do novo modelo de sociedade. Na opinião dos participantes, há um consumo de produtos exagerado em detrimento do afeto dispensado ao outro. O uso excessivo de redes sociais também está entre os indícios maléficos. "O smartphone é quase uma extensão do próprio corpo e a tecnologia, que tanto ajuda, também vem atrapalhando as relações interpessoais e muitas crianças sofrem com a falta de atenção", ressaltou um servidor. 

Para o servidor Gilson Souza da Silva, psicólogo e profissional atuante, a palestra foi muito positiva. "Esse assunto precisa ser debatido em todos os ambientes, inclusive no trabalho, local onde passamos a maior parte do nosso dia, e que, as vezes, temos um colega próximo com problemas dessa ordem e não conseguimos enxergar o seu sofrimento. Uma palavra amiga evita maiores consequências", alertou.

 

O servidor e psicólogo Gilson da Silva, que destacou a importância de enxergar os sinais de uma pessoa com problemas
O servidor e psicólogo Gilson da Silva, que destacou a importância
de enxergar os sinais de uma pessoa com problemas



A técnica previdenciária Ana Lúcia Didier, que também tem formação em Psicologia, ressaltou a importância de debater o assunto. "Um evento como esse deve acontecer com mais frequência, porque ajuda no bem estar das pessoas".

A palestrante indicou o telefone do Centro de Valorização da Vida (188), onde há uma equipe de psicólogos e estudantes treinados para atender quem precisar falar dos seus problemas. O evento foi coordenado pela Unidade de Desenvolvimento de Pessoas (UDP) da Funape.

 
BENEFICIÁRIOS DA PREVIDÊNCIA PARTICIPAM DE OFICINA DE CROCHÊ SOLIDÁRIO

O Programa Vida Ativa da Funape, em parceria com o Projeto Polvo Arteiro, realizou, em terceira edição, o Evento Solidário Para Confecção de Toucas de Crochê, com oficinas e feira de artesanato, para os aposentados e pensionistas do Regime Próprio de Previdência Social (RPPS), na quinta-feira (12), no auditório e hall de entrada do prédio sede.

Sob a supervisão do professor e artesão, Neddy Ghusmam, duas oficinas foram realizadas com os beneficiários da previdência, em que foram confeccionadas toucas em crochê, para serem doadas ao Projeto Mãos que Transformam, que serão usadas por crianças, jovens e adultos, em tratamento, no Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira (IMIP), que ajuda um número de pacientes significativo. "Além das peças que estão sendo confeccionadas aqui, outras estão sendo feitas por integrantes do projeto, que ao final, somará 300 peças", informou Ghusmam, que também é coordenador do projeto. 

 

Foto:Amanda Rocha

Toucas coloridas e de vários tamanhos como resultado da oficina

Na Feira de Crochê foram expostos produtos diversificados como bijuterias, bolsas, carteiras, artigos de decoração, roupas e brinquedos. Tudo produzido artesanalmente. "O evento tem como propósito levar um pouco da arte das crocheteiras do Projeto Polvo Arteiro, que com sua arte faz solidariedade, ajudando pessoas de forma terapêutica, como também fazem uma renda extra para o seu sustento", justificou uma das integrantes do Programa Vida Ativa, Rosemery Guilherme, que também integra o grupo Polvo Arteiro.

 

Fotos:Amanda Rocha


Uma variedade de peças em crochê como roupas, bijuterias e objetos de
coração estiveram à disposição dos servidores e visitantes

 


Foto:Amanda Rocha
A aposentada da Polícia Militar de Pernambuco, Rosemery Guilherme,
que também é integrante do grupo Polvo Arteiro

 
PROGRAMA PREVIDÊNCIA EM AÇÃO ORIENTA SERVIDORESDA SAÚDE

A Funape foi um dos órgãos escolhidos para ministrar palestra no Centro de Formação dos Servidores e Empregados Públicos do Estado de Pernambuco (Cefospe), na terça-feira (3), para o Programa de Preparação para Aposentadoria (PPA), dentro do Programa Previdência em Ação - Balcão Previdenciário.

O encontro contou com a presença de servidores da Secretaria de Saúde, de diferentes repartições como  o Hospital Otávio de Freitas (HOF), Hospital da Restauração (HR), Hospital Barão de Lucena (HBL), Escola de Governo e Saúde Pública de Pernambuco (ESPPE), União de Assistência aos Servidores Públicos (UNIASP) e do Laboratório Central de Saúde Pública de Pernambuco (LACEN/PE). 

 



Os participantes estiveram atentos às orientações da técnica previdenciária e chefe da Unidade de Concessão de Benefícios (CCB), Josy Araújo, que falou sobre o papel da Funape  como órgão gestor do Regime Próprio de Previdência Social (RPPS), as regras de aposentadorias vigentes e suas alterações com as leis complementares, regras especiais, abono de permanência, entre outros. Ela ainda tirou dúvidas sobre o acúmulo de função e licença prêmio.

Na ocasião, a técnica fez um panorama geral sobre o tempo de contribuição, através do Fundo Financeiro (Funafin), regras de transição, idade mínima, tipos de aposentadoria (voluntária, especial, por invalidez e compulsória) e mais detalhadamente as regras específicas para os servidores da área de saúde.

“Foi ótimo! Tirei dúvidas e estou saindo feliz, e, se possível, espero que tenham mais encontros como esse”, comemorou sorridente, a assistente administrativa do HOF, Maria Inês, após descobrir que ainda teria direito à  licença-prêmio remunerada.

 

 
FUNAPE FAZ INSTRUÇÃO DE FORMALIZAÇÃO DE PROCESSOS PARA MILITARES

Encerrou-se, no final da manhã de hoje (22), o curso de Formalização do Processo de Transferência para a Reserva Remunerada, Reforma do Militar e Operacionalização do Sistema de Gestão Previdenciária (SIGP), monitorado pelas técnicas previdenciárias da Funape, Josy Araújo e Ana Didier, no Centro de Formação dos Servidores e Empregados Públicos do Estado de Pernambuco (Cefospe).

A capacitação foi direcionada  para servidores da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros, que trabalham nas unidades de Recursos Humanos (RH), formalizando processos de aposentadoria. O objetivo é disseminar a cultura previdenciária, orientando os militares sobre beneficio de aposentadoria, pensão por morte, transferência para a reserva remunerada e reforma, tipos de regras e simulação de aposentadorias, abono de permanência, entre outros assuntos.

“O curso foi fundamental para tornar os processos mais eficientes e desburocratizar. À medida que você alinha procedimentos, a probabilidade de erro é bem menor e os processos vão ser finalizados no período correto e, em consequência, a Funape vai conceder o benefício em tempo hábil”, disse o 1º Tenente Ricardo, do Corpo de Bombeiros. Já a Cabo Tatiana Veruska, que participou pela segunda vez do treinamento, informou que " vai ajudar a melhorar o serviço e lidar com as pessoas, já que tenho que receber a documentação. Vai agilizar o trabalho. O curso foi bem aplicado, bem direcionado e me tirou dúvidas”, justificou.

O treinamento ocorreu entre os dias 21 e 22, com carga horária de 20h/aulas, coordenado pela servidora Iracema Vilanova.

 

Foto: Arquivo Funape

Policiais militares e do Corpo de Bombeiros no encerramento da capacitação com instrutoras e coordenadora

 
GESTORES DO IPREV/MARANHÃO VISITAM A FUNAPE

A presidente da Funape, Tatiana Nóbrega recebeu, na manhã de hoje (14), gestores do Regime Próprio de Previdência Social (RPPS) do Maranhão, para conhecer o modelo de governança da instituição. O presidente do Instituto de Previdência do Maranhão (IPREV/MA), Mayco Murilo Pinheiro tratou, entre outros assuntos, sobre compensação previdenciária, concessão de benefícios e o modelo de financiamento do RPPS.

 
FUNAPE RESTABELECE BENEFÍCIO PREVIDENCIÁRIO DE PENSIONISTA

O Governo do Estado, através da Fundação de Aposentadorias e Pensões dos Servidores (Funape), restabeleceu o benefício de pensão do pedreiro Severino Lima, de 75 anos, morador da zona rural do município de São Caetano/PE, que deixou de realizar o recadastramento obrigatório a todos os beneficiários, em 2017.

Como Severino Lima não compareceu ao banco Bradesco para atualizar o seu cadastro no mês de seu aniversário, o pagamento do seu benefício foi suspenso. "Coincidentemente, eu tinha vendido uma casinha e depositei o dinheiro na minha conta. Então, todos os meses fazia a retirada do valor que achava ser da pensão. Só fui notar que havia algo errado, quando o dinheiro acabou”, relatou com simplicidade, o pensionista. Diante disso, ele conversou com um advogado para entender a situação.  Carlos de Lira Martins fez a interlocução com a Funape, através da Unidade de Inteligência Previdenciária (UIP), e descobriu que ele não havia feito o recadastramento. A Funape restabeleceu o pagamento de pensão e ressarciu os benefícios retroativos ao período suspenso.

Antes mesmo de iniciar o processo de recadastramento, uma campanha informativa foi amplamente divulgada, em todo o Estado, com orientações de como atualizar o cadastro dos aposentados e pensionistas, que durou todo o ano de 2017. Já em 2018, teve início a campanha de comprovação de vida, para o controle de fraude e equilíbrio da gestão previdenciária, que consiste no comparecimento do beneficiário a uma agência do Bradesco (banco responsável pela folha de pagamento dos servidores ativos e aposentados e pensionistas), no mês do seu aniversário, para confirmar que está vivo. O processo é semelhante e não havendo comprovação, o benefício é bloqueado e suspenso, após o prazo regulamentar.

Recebido pela presidente da Funape, Tatiana Nóbrega, Severino Lima foi decisivo: “não vou mais esquecer de fazer o recadastramento nem a prova de vida”. Para Nóbrega, o não comparecimento na data estabelecida não é raro, mas “quando há o bloqueio, o titular ou representante do beneficiário comparece. Um caso como o do senhor Severino é raro. Permanentemente, através do rádio, das redes sociais, da mídia de um modo geral, nós fazemos o alerta para que as pessoas não deixem de fazer a prova de vida, mas, em algum momento, isso pode acontecer,” explicou.

Apenas o banco Bradesco faz o procedimento de comprovação anual de vida, em atendimento presencial ou em seus terminais de autoatendimento, se o segurado tiver a biometria cadastrada. A comprovação NÃO pode ser antecipada. Deve ser feita no mês do aniversário do beneficiário, que terá de ir ao banco pessoalmente.  Somente em casos de doença grave ou dificuldade de locomoção, comprovados através de declaração médica, em papel com o timbre da rede pública ou privada, constando identificação do médico com carimbo e número do Conselho Regional de Medicina - CRM, emitida com até 30 dias de antecedência ou de ser declarado incapaz em processo judicial ou ter residência no exterior poderá ser feito pelo representante legal (procurador, curador, tutor, guardião ou genitor). No caso de procuração, esta deverá ser pública. Após realizar junto ao Bradesco a comprovação de vida, o representante legal deverá enviar à Funape (rua Henrique Dias, S/N, Unidade de Inteligência Previdenciária - Térreo, Derby, Recife ? PE, CEP 52.010-100), por carta registrada com comprovação de recebimento, os seguintes documentos:

I - cópia do comprovante da realização da comprovação anual de vida entregue pela instituição financeira;

II - cópias autenticadas do RG e CPF do representante legal e de seu procurador, caso aplicável;

III - cópia autenticada da procuração, da certidão ou termo de compromisso de tutela, ou de curatela, ou de guarda, apresentada, a depender da condição, no ato da comprovação de vida;

IV - cópia autenticada da declaração médica referente à doença grave ou dificuldade de locomoção, quando se tratar de procurador;

V - cópia atualizada do comprovante de residência do representante legal;

VI - telefones para contato com o representante legal.

O não recebimento pela Funape da documentação mencionada ou se a documentação for insuficiente, ocasionará, decorridos mais de 30 dias após a comprovação anual de vida, a adoção do bloqueio do pagamento do benefício, até que a situação seja regularizada.

Em caso de portabilidade bancária, o aposentado ou pensionista também deverá fazer a comprovação de vida no Bradesco, uma vez que esses beneficiários ainda possuem contas nessa instituição bancária. A Funape NÃO fará a comprovação de vida dos beneficiários.

SEGURADOS NO EXTERIOR

Os beneficiários que estiverem ou residirem no exterior deverão fazer sua comprovação anual de vida através do Atestado de Vida, realizado perante representação diplomática brasileira ou mediante representante legal constituído no Brasil ou no exterior. Em caso de representação legal, por meio de procurador constituído no exterior, o instrumento de procuração deverá ser lavrado em representação diplomática brasileira. Dentre as finalidades do Atestado de Vida ou da procuração, conforme o caso, deverá constar a realização da comprovação de vida perante a Funape.

Na comprovação de vida realizada através de Atestado de Vida, caberá ao beneficiário remeter, através de carta registrada com comprovante de recebimento, à Funape, no endereço acima citado, cópia do Atestado de Vida acompanhado das cópias do RG, CPF e Passaporte (folha de identificação).

Todas as informações necessárias à comprovação anual de vida você poderá encontrar no site www.funape.pe.gov.br

Aposentado e pensionista do Estado, faça a sua comprovação anual de vida e garanta o seu benefício

INFORMATIVOS
Serviços